Fluxo de caixa: entenda o que é e como fazer

fluxo de caixa

Fluxo de caixa: entenda o que é e como fazer

No último artigo publicado aqui no blog, falamos sobre as primeiras medidas necessárias após a aquisição de um CNPJ, a fim de garantir que a sua empresa cresça e se desenvolva em um ambiente saudável, de forma sustentável e exponencial. Entre essas medidas, uma das mais importantes é o fluxo de caixa.

Neste post, abordaremos o tema de forma mais profunda, mostrando-lhe de que forma essa ferramenta de gestão financeira pode ser útil para que sua empresa alcance o tão desejado sucesso.

Leia até o final e entenda porque todas as empresas, independente do porte ou segmento no qual estão inseridas, devem recorrer ao fluxo de caixa para um controle financeiro eficaz.

O que é fluxo de caixa?

Fluxo de caixa nada mais é que o controle de todas as despesas e receitas da sua empresa. Através dele, todo o dinheiro que entra e sai da empresa é registrado de forma minuciosa.  Neste momento você pode estar se perguntando: mas alguma empresa deixa de registrar as entradas e saídas? Na verdade, não raras as vezes o fluxo de caixa é negligenciado ou, quando colocado em prática, não é feito de forma correta, comprometendo a saúde do negócio.

O fluxo de caixa é uma importante ferramenta de gestão financeira que permite ao empresário ter uma visão precisa de todos os gastos e faturamento provisionados. Dessa forma, fica mais fácil analisar a realidade financeira do negócio e tomar decisões acertadas. Por meio do fluxo de caixa, o empresário ou gestor financeiro consegue identificar se terá dinheiro suficiente para honrar com os compromissos e responsabilidades durante um determinado período.

Este controle pode ser diário, semanal, mensal ou até mesmo anual, cabendo ao empreendedor definir a melhor maneira de controlar as finanças.

Como fazê-lo?

Em empresas menores, o fluxo de caixa muitas vezes é feito em uma planilha de Excel. E tudo bem se esta for a única forma de fazê-lo. O importante mesmo é não deixar de registrar, com detalhes, todo o dinheiro que entra e sai do seu caixa. Apesar disso, sempre recomendamos o uso de uma ferramenta mais completa, como um sistema de gestão online, que possibilita automatizar informações, dados e números.

De acordo com a empresa Conta Azul, que mantém uma plataforma para conectar a empresa com a contabilidade, “o segredo do sucesso de uma empresa é conhecer e entender o que entra e o que sai do caixa durante um dia, um mês ou um ano.” Ainda de acordo com a empresa, não fazer o registro dos recebimentos e pagamentos é o que leva mais de 50% das micro e pequenas empresas brasileiras a fecharem as portas nos quatro primeiros anos de vida.

Quais os tipos de fluxo de caixa?

Cada empresa tem uma maneira de organizar o próprio fluxo de caixa, que depende do tamanho do negócio, dos seus objetivos financeiros, entre outros fatores.

O fluxo de caixa projetado, como o próprio nome indica, trata-se de uma projeção.  Com base neste modelo, o gestor, além de ter conhecimento sobre todas as entradas e saídas, consegue planejar todas as ações com base em receitas futuras.

De forma resumida, é possível mencionar três funções primordiais deste modelo de caixa:

  • Organização: projetar a realização de pagamentos e recebimentos.
  • Correção: projetar ajustes para corrigir perdas.
  • Afirmação: projetar investimentos no crescimento do negócio.

Por meio deste recurso, o gestor consegue antecipar situações de risco, agindo antes que aconteçam e evitando uma crise.

Já o fluxo de caixa livre ou final mede a capacidade de geração de capital em curto, médio e longo prazos, indicando o saldo existente na comparação com o chamado fluxo de caixa operacional, ou seja, após descontado o pagamento do de dívidas ou empréstimos,  por exemplo. Em outras palavras, trata-se do montante de caixa que permanece na empresa após todos os gastos (dívidas, despesas com aluguel, salários, materiais etc.) terem sido quitados.

As respostas sobre o futuro financeiro da sua empresa estão no fluxo de caixa livre. Através dele o gestor saberá se será preciso contrair empréstimos ou se sobrará dinheiro para pagar dívidas.

Apesar de existirem outros tipos de fluxo de caixa, citamos aqui os mais comumente utilizados.

A importância da atualização da ferramenta

Você pode até optar por fazer o fluxo de caixa uma vez por semana, como citamos anteriormente, mas precisa se lembrar que diante de um problema causado por um erro de registro, será preciso talvez uma semana para identificar o gargalo e propor a correção. Por isso, o mais recomendável é que seja feito diariamente.

Todavia, é importante ressaltar que fluxo de caixa só será útil se feito da forma correta, com números detalhados a atualizados. Dados desatualizados podem comprometer a saúde da sua gestão financeira, uma vez que geram interpretações erradas. A falta de informações também implica em análises equivocadas. Por isso, atenção! Não basta fazer o fluxo de caixa, é preciso acompanhá-lo e mantê-lo sempre atualizado para que você atinja os resultados esperados.

Viu só como o fluxo de caixa pode ser determinante para o sucesso da sua empresa? Ele é quem dita se você poderá fazer investimentos de expansão no seu negócio ou se será preciso cortar gastos em determinadas áreas.

Se ficou com alguma dúvida sobre o assunto, basta fazer contato com a gente ou deixar sua pergunta aqui embaixo, nos comentários. Estamos sempre à disposição para orientá-lo (a).